Diploma que altera entidade gestora dos hospitais do Algarve já foi publicado
DATA
24/08/2017 10:23:34
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Diploma que altera entidade gestora dos hospitais do Algarve já foi publicado

O decreto-lei que altera a designação da entidade gestora dos hospitais públicos do Algarve foi hoje publicado em Diário da República, o que transfere e reforça as competências do novo Centro Hospitalar Universitário do Algarve.

O diploma altera a denominação do Centro Hospitalar do Algarve para Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) e transfere as atribuições, as competências, os direitos e as obrigações da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve no que diz respeito ao Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul (CMFRS).

De acordo com o documento, os trabalhadores do CMFRS titulares de contrato individual de trabalho transitam para o CHUA, sem que haja alteração do respetivo vínculo.

A entrada em vigor do diploma implica a cessação do mandato dos membros do conselho de administração, mantendo-se os mesmos, contudo, em funções, até à sua substituição pelo Governo.

O CHUA passa a integrar os hospitais de Portimão, de Lagos e de Faro, o Centro de Medicina de Reabilitação do Sul e um polo de investigação e de ligação com a Universidade do Algarve.

A criação deste novo modelo para os hospitais algarvios, aprovado em Conselho de Ministros em 20 de julho passado, visa, segundo o Governo, resolver o problema da falta de profissionais de saúde na região, devido à dificuldade em ocupar as vagas abertas nos concursos.

“O objetivo é aumentar a atratividade de médicos, enfermeiros e outros técnicos de saúde, e ao mesmo tempo reforçar a ligação à universidade, nomeadamente fortalecer e potencializar o curso de Medicina, para oferecer aos profissionais uma oportunidade de crescer no plano de investigação e criar uma estrutura hospitalar forte, atrativa e dinâmica”, lê-se numa nota enviada pela ARS Algarve.

O diploma estipula ainda a colaboração com o Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve, visando atingir a excelência de cuidados através do desenvolvimento da investigação, da formação e a melhoria contínua dos cuidados de saúde.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas