Jornal Médico Grande Público

Vacinação de adultos contra a pneumonia aumentaria participação de idosos na família
DATA
25/09/2017 10:21:39
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Vacinação de adultos contra a pneumonia aumentaria participação de idosos na família

O diretor da Federação Internacional do Envelhecimento defendeu na sexta feira, em Lisboa, a vacinação de adultos contra a pneumonia, uma medida que aumentará a capacidade de participação dos mais velhos na família e no acompanhamento dos netos.

Greg Shaw falava na conferência internacional sobre o envelhecimento “Uma sociedade sustentável para todas as idades”, que decorre desde quinta-feira em Lisboa.

“Melhorando as taxas de vacinação dos adultos vamos aumentar a sua capacidade de participação na família, permitindo-lhes que prestem mais apoio aos netos, por exemplo”, afirmou.

Desta forma, prosseguiu, “são melhoradas as interações entre gerações”.

O diretor da Federação Internacional do Envelhecimento apresentou alguns indicadores da pneumonia, como o seu custo anual em todo o mundo: 10 mil milhões de euros.

Para os pacientes, o custo da pneumonia ascende a 5,7 mil milhões de euros em cuidados.

Greg Shaw frisou que em alguns países, nomeadamente da América Latina, as estadias em hospitais são muito elevadas e, também por isso, os custos muito grandes.

A conferência internacional das Nações Unidas junta altos responsáveis de 49 Estados-membros da Comissão Económica das Nações Unidas para a Região Europa (UNECE), assim como entidades das Nações Unidas, da Comissão Europeia e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

O evento decorre desde quinta-feira e conta com a representação de mais de 50 países, membros de mais de 35 nações e cerca de 400 participantes.

Em Portugal a pneumonia mata em média 23 pessoas por dia, só nos hospitais públicos. Segundo dados da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), “todos os dias são internados, em média, 81 doentes adultos com pneumonia adquirida na comunidade. Destes, 16 acabam por morrer devido à doença, o que significa uma taxa de letalidade intra-hospitalar de cerca de 20%.

Dados de um estudo que decorreu entre 2000 e 2009 e analisou os internamentos nas instituições do Serviço Nacional de Saúde (SNS), citado pela SPP, revelam que os custos diretos por internamento hospitalar rondam os 2.706 euros por doente, o que acarreta para o SNS uma despesa total de cerca de 220 mil euros por dia e 80 milhões de euros por ano.

Saúde Pública

news events box

Mais lidas