Projeto que visa melhorar acesso urgente a medicamentos arrancou em Bragança
DATA
11/12/2017 10:44:00
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Projeto que visa melhorar acesso urgente a medicamentos arrancou em Bragança

No início deste mês arrancou, em Bragança, o projeto-pilo SAFE – Serviço Nacional de Assistência Farmacêutica –, com o objetivo de melhorar o acesso dos portugueses aos medicamentos urgentes durante a noite.

Depois de irem à urgência, os doentes vão receber informação sobre as farmácias de serviço e sobre a disponibilidade dos medicamentos de que necessitam, de forma mais fácil e rápida, sendo ainda possível fazer reservas ou até mesmo solicitar entregas ao domicílio.

Para além do atual contacto telefónico com o centro de atendimento especializado, os doentes poderão no futuro aceder à informação também através da Internet, de uma aplicação móvel e de terminais digitais instalados nas salas de espera. Atualmente, o centro de contato informa o doente sobre as farmácias de serviço na área da sua preferência geográfica com disponibilidade dos medicamentos receitados.

O projeto SAFE, que visa complementar o atual regime de turnos das farmácias, ao funcionar entre as 21 e as 9 horas, de segunda a sábado, e todo o dia aos domingos e feriados, estava previsto no acordo assinado entre os Ministérios das Finanças e da Saúde, e a Associação Nacional das Farmácias, contando com a participação do Infarmed e da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte.

O distrito de Bragança foi escolhido devido à sua elevada dispersão populacional, porém, a iniciativa poderá se alargada a outras regiões, mediante pedido da respetiva ARS.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: