Estatística do medicamento: encargos do SNS mantêm-se estáveis
DATA
05/01/2018 17:48:35
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Estatística do medicamento: encargos do SNS mantêm-se estáveis

Os encargos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) com medicamentos mantêm-se estáveis, representando 1,23% do PIB, já relativamente ao orçamento do SNS, dizem respeito a um quarto (25,4%), de acordo com os dados revelados pelo Infarmed.

Foi publicada hoje a Estatística do Medicamento relativa a 2016, na página oficial do Infarmed, que revela que os encargos do SNS com medicamentos não sofreram alterações, representando 1,23% do PIB e um quarto do orçamento total deste organismo.

É de notar que o mercado do SNS representa 74,6% e o dos medicamentos não sujeitos a receita médica alcança os 24,6%. Quanto aos gastos dos utentes, verifica-se um decréscimo para 27,7%.

Em 2016 existiam 16.421 medicamentos no mercado com Autorização de Introdução no Mercado (AIM).

É também revelado que o número de registos de cosméticos assim como de dispositivos médicos, está em crescimento, aumentando para 7.714 e 226.948, respetivamente. Com estes, cresceu o número de locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica, enquanto a cobertura com farmácias e distribuidores se mantém sólida.

A dispensa de medicamentos em ambulatório pesou mais para o SNS, subindo de 1182 milhões de euros para 1189, simultaneamente, para os utentes verificou-se uma descida de 1,8%.

É de sublinhar o aumento das vendas de medicamentos genéricos, cujo valor da maioria não ultrapassa os dez euros, tendo-se vendido 64,5 milhões de embalagens.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: