Venezuela: UNICEF pede mais apoio para as crianças com intensificação da crise
DATA
29/01/2018 11:40:20
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Venezuela: UNICEF pede mais apoio para as crianças com intensificação da crise

A UNICEF defendeu que o Governo venezuelano deve cuidar das crianças, considerando que neste grupo populacional “aumenta a prevalência da desnutrição” ao mesmo tempo que se intensifica “uma crise económica cada vez mais profunda”.

No comunicado divulgado, a UNICEF explica que “apesar de não existirem dados exatos devido à falta de informação oficial sobre saúde e nutrição, há sinais claros de que a crise está a limitar o acesso das crianças a assistência médica, a alimentos e medicamentos”.

Segundo a UNICEF, a informação oficial disponível, publicada pelo Instituto Nacional de Nutrição venezuelano em 2009, dá conta de que “a prevalência de peso inferior ao correspondente à altura nas crianças com menos de cinco anos era, naquela altura, de 3,2%”.

“No entanto, estudos não oficiais mais recentes mostram taxas ainda maiores”, destaca-se no comunicado, considerando que o Relatório Global de Nutrição calcula uma prevalência de 4,1%, enquanto que o Estado da Segurança Alimentar e da Nutrição no Mundo em 2017, sugere que a desnutrição ou a medida da fome que indica a proporção da população com consumo insuficiente de alimentos, na Venezuela, aumentou para 10,5% e para 13% entre 2004-2006 e 2014-2016, respetivamente.

Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve
Editorial | Gil Correia
Urgências no SNS – só empurrar o problema não o resolve

É quase esquizofrénico no mesmo mês em que se discute a carência de Médicos de Família no SNS empurrar, por decreto, os doentes que recorrem aos Serviços de Urgência (SU) hospitalares para os Centros de Saúde. A resolução do problema das urgências em Portugal passa necessariamente pelo repensar do sistema, do acesso e de formas inteligentes e eficientes de garantir os cuidados na medida e tempo de quem deles necessita. Os Cuidados de Saúde Primários têm aqui, naturalmente, um papel fundamental.