Medicamentos: mais acessíveis e com menor preço em seis anos
DATA
23/02/2018 12:22:30
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Medicamentos: mais acessíveis e com menor preço em seis anos

Os cidadãos portugueses estão a utilizar mais medicamentos: em 2017, adquiriram mais 1,4 milhões de embalagens de medicamentos nas farmácias face a 2016, tendo sido dispensadas 157 milhões no total, o maior volume dos últimos cinco anos.

O valor suportado pelo cidadão em cada embalagem baixou 1,27 cêntimos nos últimos seis anos (menos 22%), sendo que o encargo médio por embalagem foi de 4,44 euros (menos três cêntimos) em 2017, revelou hoje o Infarmed em comunicado, no entanto, refere, “a fatura global oscilou apenas 0,3% face ao período homólogo, para 699 milhões de euros”.

Simultaneamente, a despesa total com medicamentos nas farmácias atingiu quase dois mil milhões de euros, dos quais 1.213,5 milhões de euros são encargos do Serviço Nacional de Saúde, que registou um aumento de 23,7 milhões de euros (0,2%), fruto da disponibilização de mais medicamentos inovadores e de um aumento da dispensa de medicamentos.

O Infarmed destaca, ainda, o aumento da quota de medicamentos genéricos, que alcançou 47,9% só no mês de dezembro.

Por outro lado, de acordo com a informação disponibilizada, deu-se uma redução generalizada de 3% do tratamento com antibióticos.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: