DST são responsáveis por mais de 350 milhões de novas infeções por ano
DATA
20/03/2018 10:54:54
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


DST são responsáveis por mais de 350 milhões de novas infeções por ano

O Instituto Superior Técnico acolhe, nos próximos dias 21 e 22 de março, entre as 14 e as 17 horas, no edifício dos Serviços de Saúde, rastreios às doenças sexualmente transmissíveis (DST). O objetivo é obter dados relativos à prevalência de quatro microrganismos responsáveis por DST em Portugal continental.

A participação neste estudo, promovido pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), é anónima e gratuita. Para participar, os interessados terão apenas de dar o seu consentimento, preencher um inquérito e fornecer uma amostra de urina. Os participantes podem solicitar o acesso aos seus resultados.

“A maioria das DST não causa sintomas, ou seja, os infetados não sentem necessidade de procurar diagnóstico, não são tratados e continuam a transmitir a infeção aos seus parceiros. É necessário atuarmos ao nível da prevenção e da sensibilização, sobretudo porque a população jovem também desconhece as consequências das DST na sua saúde reprodutiva. As DST que são objeto do presente estudo são curáveis pela simples toma de antibiótico, mas, quando não tratadas, podem causar doença inflamatória pélvica e infertilidade e, por outro lado, potenciam o risco de aquisição e transmissão do VIH/SIDA”, explicou a Investigadora e Coordenadora do Laboratório Nacional de Referência das Infeções Sexualmente Transmissíveis do INSA, Maria José Borrego.

As DST abrangidas pelo estudo são causadas pelas bactérias Chlamydia trachomatis, Neisseria gonorrhoeae, Mycoplasma genitalium e pelo parasita Trichomonas vaginalis, cujos dados de prevalência em Portugal são, atualmente, quase inexistentes.

Paralelamente a esta ação, o rastreio pode ser realizado em qualquer laboratório do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, a nível nacional. O conhecimento da frequência destas quatro DST em Portugal tem como objetivo a implementação de ações de prevenção.

O estudo, coordenado pelo INSA, tem o apoio do Centro de Medicina Laboratorial Germano de Sousa, bioMérieux e Genomica.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, estas quatro DST causam mais de 350 milhões de novas doenças por ano, no mundo, sendo as mais frequentes nos jovens sexualmente ativos.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.