Barreiro: Hospital admite acesso indevido a dados clínicos dos doentes
DATA
30/04/2018 11:48:16
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Barreiro: Hospital admite acesso indevido a dados clínicos dos doentes

Embora o Conselho de Administração (CA) do Centro Hospitalar Barreiro-Montijo (CHBM) garanta que cumpre as regras de acesso ao sistema que contém os dados dos doentes, não exclui a possibilidade de fuga de informação, caso os médicos forneçam dados a terceiros.

Recentemente, o Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) colocou em causa a confidencialidade dos dados clínicos dos doentes, alegando que os mesmos estavam a ser acedidos por profissionais não médicos, através da utilização de um “perfil” médico na plataforma de registo SClinico.

Em resposta, o CA deste hospital garantiu cumprir as regras em vigor, advertindo que o acesso à plataforma com perfil médico por profissional não médico apenas “é possível se o médico, contrariando todas as regras e normas de segurança, fornecer os seus dados de acesso a terceiros”.

Para o SMZS, esta versão dos acontecimentos vem confirmar “não apenas que a situação denunciada existe de facto, como também que o CA não cumpriu a sua obrigação de proteger os dados pessoais dos cidadãos doentes que recorrem ao CHBM”, pode ler-se na nota de imprensa enviada por este Sindicato.

Além disso, o SMZS “sabe que são vários os perfis utilizados, de pelo menos duas especialidades médicas, e que essa utilização decorreu ao longo de vários meses, mesmo após o aviso ao CA que a situação estava a ocorrer”, sublinha.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas