Carlos Cortes: “Sentimos e sentiremos tanto a sua falta”
DATA
21/05/2018 16:21:42
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Carlos Cortes: “Sentimos e sentiremos tanto a sua falta”

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, lamentou a morte de António Arnaut, conhecido como o “pai” do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Foi através das redes sociais que Carlos Cortes mostrou o seu pesar pela morte do antigo ministro dos Assuntos Sociais e fundador do SNS, que faleceu hoje em Coimbra, aos 82 anos.

"Foi com uma profunda tristeza que recebi esta notícia. Além de tudo o que será dito sobre ele como político, como escritor, como advogado, era um ser humano dotado de uma incomparável bondade”, começa por dizer na publicação de Facebook.

Carlos Cortes considera-se um privilegiado por tido oportunidade de conhecer um dos nomes mais emblemáticos da Saúde em Portugal: “Tive o privilégio de o conhecer e de trocar frequentemente conversas apaixonadas. Sempre o vi tratar todos por igual, sempre senti nele alguém que defendia a razão. Sempre ativo, sempre empenhado, sempre preocupado com os outros. Um humanista verdadeiro, um amigo de todos.

“Sentimos e sentiremos tanto a sua falta. Um abraço enorme para um Homem que nos marcou a todos", concluiu.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas