António Arnaut: AR aprova voto de pesar e enaltece coragem cívica e política
DATA
24/05/2018 18:13:05
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


António Arnaut: AR aprova voto de pesar e enaltece coragem cívica e política

A Assembleia da República (AR) aprovou, hoje, por unanimidade, um voto de pesar pela morte de António Arnaut, apelidado “pai” do Serviço Nacional de Saúde (SNS), enaltecendo a “coragem cívica e política” do antigo ministro.

"É com um sentimento de profundo pesar que assinalamos o falecimento do antigo deputado à Assembleia Constituinte e deputado à Assembleia da República, António Arnaut", lê-se no voto apresentado pelo presidente da Assembleia da República.

Após a leitura e aprovação do voto, por unanimidade, o plenário cumpriu um minuto de silêncio.

O país "trata-o carinhosamente como o pai do Serviço Nacional de Saúde", uma "conquista maior do Portugal democrático", é ainda referido neste voto, onde também se lê que António Arnaut "sempre entendeu a igualdade de oportunidades como condição essencial ao exercício da liberdade".

Os deputados da AR "manifestam à família e amigos de António Arnaut, bem como ao PS, o mais sentido pesar pelo seu desaparecimento".

"Pelo seu exemplo, soube granjear o respeito da sociedade e personificar de forma exemplar o conceito de ética republicana", louvam.

Recorde-se que o antigo ministro dos Assuntos Sociais, fundador do SNS e cofundador do PS, morreu esta segunda-feira, em Coimbra, aos 82 anos.

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas