Tutela revela acréscimo de 447 médicos especialistas em 2017 no SNS
DATA
19/06/2018 11:33:59
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Tutela revela acréscimo de 447 médicos especialistas em 2017 no SNS

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) tinha, no ano passado, mais 447 médicos especialistas do que em 2016, mas há mais de 15% de profissionais formados que não ficam no sistema público português, segundo dados oficiais.

Ainda assim, de acordo com os números ontem divulgados pela Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), a taxa de retenção de especialistas no SNS foi, em 2017, superior a 2016, atingindo os 84%.

No final do ano passado, trabalhavam nas entidades do ministério da Saúde 131.998 funcionários, “o maior número de efetivos de que há registo”, indica uma nota da ACSS, enviada a propósito de uma reunião com dirigentes que decorreu ontem à tarde em Lisboa. O pessoal de enfermagem tem a maior fatia de efetivos (33%), seguido dos médicos, com 21,7%. Do universo de médicos especialistas, em 2017 deu-se um acréscimo de 447 profissionais. A Ordem dos Médicos estimava, no início deste ano, que faltassem ao SNS mais de cinco mil médicos especialistas.

Também o número de enfermeiros cresceu, com um aumento de 1.166 profissionais.

O Ministério da Saúde divulgou ainda dados relativos aos cuidados continuados integrados, indicando que em abril deste ano havia mais 412 camas do que em 2015, num total de 8.549 camas.

É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários
Editorial | Jornal Médico
É urgente desburocratizar os Cuidados de Saúde Primários

Neste momento os CSP encontram-se sobrecarregados de processos burocráticos inúteis, duplicados, desnecessários, que comprometem a relação médico-doente e que retiram tempo para a atividade assistencial.