Investigadoras criam ferramenta que ensina a cuidar de pessoas dependentes
DATA
06/07/2018 15:29:23
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Investigadoras criam ferramenta que ensina a cuidar de pessoas dependentes

Investigadoras em enfermagem do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), Teresa Martins e Maria José Lumini, desenvolveram uma ferramenta tecnológica que fornece informação adaptada às necessidades dos familiares cuidadores de pessoas dependentes.

A ferramenta digital, que será apresentada na Semana de Investigação em Enfermagem, que arranca na próxima segunda-feira, no Porto, foi criada com o objetivo de ensinar os familiares cuidadores a tratar dos doentes dependentes, de forma a complementar a orientação fornecida por profissionais de saúde e fomentar a autonomia dos mesmos.

O “Intent-Care” disponibiliza vários recursos multimédia – imagem, vídeo, áudio e texto – em diversas áreas de intervenção, nomeadamente alimentação, posicionamento, transferência de um local para o outro, apoio ao banho, vestir o doente, entre outras informações relevantes.

“Em Portugal, os cuidados a pessoas dependentes são assegurados essencialmente pelas famílias. Aos cuidadores é cada vez mais solicitada uma corresponsabilização nos cuidados de saúde, submetendo-os, muitas vezes, a situações stressantes. A crescente utilização de plataformas educativas na área da educação para a saúde pode constituir-se como um recurso para esta população”, salientam as investigadoras.

Antes de avançarem com a conceção desta ferramenta, as investigadoras realizaram dois estudos para determinar as necessidades e dificuldades dos familiares cuidadores. Além disso, a construção da mesma contou com a participação de um painel de peritos. Posteriormente, foram realizados estudos com amostras de cuidadores no sentido de validar a usabilidade do equipamento.

“A acessibilidade e simplicidade desta plataforma constituiu uma preocupação principal no seu desenvolvimento. Pelo seu uso e acesso livre esta plataforma permite aumentar a acessibilidade aos cuidados de saúde”, explicaram as investigadoras.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas