Óbidos quer médico de família para todos os habitantes
DATA
10/07/2018 09:47:37
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Óbidos quer médico de família para todos os habitantes

A Câmara Municipal de Óbidos anunciou que até ao primeiro trimestre de 2019 quer que todos os habitantes tenham um médico de família.  

De acordo com um comunicado deste município, Óbidos “tem neste momento o quadro de médicos completo”, tendo sido contratados “três novos profissionais de saúde para o concelho”.

Os novos médicos vão prestar cuidados de saúde na sede de concelho e nas freguesias de A-dos Negros e Amoreira e Olho Marinho, e a sua contração permite prever que “no primeiro trimestre de 2019 toda a população de Óbidos tenha acesso a médico de família”, pode ler-se no mesmo documento.

Segundo dados revelados pelo deputado municipal e representante do município no Conselho da Comunidade ACES (Agrupamentos de Centros de Saúde) Oeste Norte, Luís Miguel Oliveira, em 2016 “havia cerca de três mil utentes sem médico de família, situação que passou para 300 este ano”.

A lacuna de 300 utentes deve-se, segundo a autarquia, ao facto de um dos médicos estar “aposentado e, como tal, tem redução de horário e de lista de utentes”. No entanto, esta situação será solucionada “com o preenchimento desta vaga a tempo inteiro, no primeiro trimestre de 2019”.

Luís Miguel Oliveira adianta, ainda, que em 2019 serão implementadas “melhorias no sistema de saúde” do concelho, que “passará a ter uma Unidade de Saúde Familiar”.

O concelho de Óbidos tem polos de saúde com número inferior a 1750 utentes, que “o ACES Oeste Norte e o município não querem encerrar, o que obriga a distribuir mais médicos pelo território” cujo quadro, segundo a Câmara Municipal, terá “cinco médicos”.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas