Idosos de Proença-a-Nova operados às cataratas gratuitamente
DATA
30/07/2018 15:55:00
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Idosos de Proença-a-Nova operados às cataratas gratuitamente

Onze idosos de Proença-a-Nova foram operados às cataratas no Hospital da Cruz Vermelha, no âmbito de um protocolo celebrado entre o município local e a Fundação Álvaro Carvalho (FAC).

“Este protocolo inclui-se na estratégia do município de cuidar dos cidadãos mais vulneráveis e que necessitam de atenção especial, proporcionando assim melhor qualidade de vida”, refere em comunicado o presidente da Câmara de Proença-a-Nova, João Lobo.

O município celebrou um protocolo de colaboração com a FAC para o cofinanciamento do projeto de inovação social "Dar visão ao interior - região Centro".

O autarca prevê que nos próximos três anos sejam realizadas até 40 cirurgias de oftalmologia ao abrigo deste protocolo.

"A Câmara irá cofinanciar a implementação deste plano de desenvolvimento até 16 mil euros e irá acompanhar a implementação do mesmo. A seleção dos doentes é feita com base em dois critérios: prioridade clínica e carência económica, realizada em parceria com a Coordenação do Centro de Saúde de Proença-a-Nova", pode ler-se na nota.

Além das cirurgias às cataratas, a FAC realizou 20 consultas de dermatologia no Centro de Saúde de Proença-a-Nova. Este ano, estão ainda programadas ações de sensibilização em lares seniores do concelho, orientadas por fisioterapeutas e com o objetivo de prevenir quedas dos utentes.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.