Venezuela: Faltam medicamentos para mais de 55 mil pessoas com cancro
DATA
31/07/2018 09:44:41
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Venezuela: Faltam medicamentos para mais de 55 mil pessoas com cancro

Mais de 55 mil pessoas com cancro, na Venezuela, não estão a ser tratadas devido à falta de medicamentos.

"Mais de 55 mil pessoas com cancro não têm medicamentos oncológicos e as pessoas que têm cancro em fase terminal não têm medicamentos paliativos, estão a morrer com dor e isso é indigno", denunciou o presidente da ONG Codevida, uma aliança de organizações dedicadas à defesa e ao direito à Saúde dos venezuelanos.

Em declarações aos jornalistas, Francisco Valência afirmou que é preciso dar uma morte digna aos pacientes que estão em "fase final".

"Senhor ministro [Carlos Alvarado González], senhor Presidente [Nicolás Maduro] vocês são responsáveis pela Saúde dos venezuelanos", frisou.

Segundo Francisco Valência estão "sobrelotas" as unidades de diálise para pacientes com insuficiência renal.

"Não há materiais para diálise. Todos os dias estão a morrer pessoas. Cada dia há menos máquinas para diálise. Este ano já morreram 11 pessoas transplantadas e há mais de 90 rejeições", frisou.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos, membro da Direção Nacional da APMGF
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: