Neuropatia: APMGF associa-se a campanha internacional
DATA
02/08/2018 14:48:36
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Neuropatia: APMGF associa-se a campanha internacional

A Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF) associou-se a uma campanha global para dar a conhecer uma doença silenciosa, a neuropatia.

Sob o mote “Escute o seu corpo”, esta campanha pretende informar a sociedade sobre os sintomas de uma doença que, apesar de subdiagnosticada, atinge grande parte da população.

A neuropatia é uma doença que atinge cerca de 8% da população geral. No caso dos grupos de risco - diabéticos, alcoólicos, idosos e vegetarianos - esta patologia pode ultrapassar os 50%.

“A neuropatia corresponde a um quadro de lesões nos nervos motores, sensoriais e/ou autónomos que afetam diferentes fibras nervosas. Ocorre quando há lesão no sistema nervoso periférico, como nos nervos dos braços e das pernas, o que conduz a um quadro sintomático desconfortável e perturbador da qualidade de vida dos doentes”, explica o médico de Medicina Geral e Familiar e vice-presidente da APMGF, Jorge Brandão.

Note-se que a perda de sensibilidade, o formigueiro e ardor são os principais sintomas de neuropatia.

“Sabe-se que 50% das pessoas podem estar em risco de desenvolver neuropatia com o passar dos anos e uma em cada três poderá evoluir para um quadro debilitante. É importante que as pessoas, em especial os grupos de risco, reconheçam os sintomas e procurem identifica-los junto do seu médico, de modo a travar ou controlar a doença”, concluiu Jorge Brandão. ´

Para a APMGF, a questão do diagnóstico precoce é fundamental, na medida em que “quando diagnosticadas precocemente, as doenças que originam neuropatia podem ser revertidas ou, pelo menos, controladas”.

Com o intuito de promover um maior conhecimento desta patologia e sensibilizar a sociedade em geral, foi criada a seguinte plataforma: www.escuteoseucorpo.pt.

Uma oportunidade de ouro
Editorial | Nuno Jacinto
Uma oportunidade de ouro

O ano que agora terminou foi sem dúvida atípico, fora do normal e certamente ficará para sempre na nossa memória individual e coletiva. Mas porque, apesar de tudo, há tradições que se mantêm, é chegada a hora de fazer um balanço de 2020 e perspetivar 2021.

Mais lidas

Sem artigos!
Sem artigos!