INEM, SPC e CPR assinam protocolo para criação de Registo Nacional de PCR
DATA
24/08/2018 11:35:16
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




INEM, SPC e CPR assinam protocolo para criação de Registo Nacional de PCR

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC) e o Conselho Português de Ressuscitação (CPR) assinaram um protocolo de colaboração para a criação de um Registo Nacional de Paragem Cardiorrespiratória (PCR).

De acordo com a notícia avançada pela Newsletter do INEM, através deste registo será possível conhecer melhor a realidade nacional e planear ações futuras, nomeadamente no que diz respeito à disponibilização de acesso à desfibrilhação precoce, um dos elos da Cadeia de Sobrevivência.

A assinatura deste protocolo surge na sequência de uma das conclusões do grupo de trabalho para Requalificação do Programa Nacional de Desfibrilhação Automática Externa que defende a criação de um registo nacional de PCR.

Além da criação de um registo nacional contínuo de PCR aberto a todas as entidades interessadas em contribuir para o mesmo, o grupo de trabalho sugere, ainda, a realização de um registo piloto (tipo snapshot), no qual seriam registados todos os detalhes dos casos de PCR, e a inclusão dos registos nacionais de PCR no registo europeu EuReCa.

"O INEM, pelo seu papel central na resposta à emergência médica pré-hospitalar no território continental, o CPR na qualidade de representante nacional do European Resuscitation Council, e a SPC que tem um interesse óbvio no conhecimento da realidade nacional relacionada com a morte súbita cardiovascular, são três das entidades com interesses convergentes e que deram desta forma um passo importante para melhor caraterizar os casos de PCR em território nacional", refere a notícia avançada pelo INEM.

O protocolo, assinado no início deste mês, cria desta forma as bases para uma colaboração entre as três entidades signatárias para a concretização dos registos propostos.

You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade
Editorial | António Luz Pereira, Direção da APMGF
You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade

No ano de 2021, foram realizadas 36 milhões de consultas médicas nos cuidados de saúde primários, mais 10,7% do que em 2020 e mais 14,2% do que em 2019. Ou seja, aproximadamente, a cada segundo foi realizada uma consulta médica.