Médicos e cidadãos vão ter acesso livre a informação de saúde
DATA
04/09/2018 12:37:29
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Médicos e cidadãos vão ter acesso livre a informação de saúde

A Ordem dos Médicos (OM) e o Ministério da Saúde assinaram hoje um protocolo de colaboração inovador. Trata-se de uma parceria destinada ao apoio da decisão clínica, formação profissional contínua e literacia em saúde para todos os cidadãos.  

O Jornal Médico esteve presente na cerimónia, que decorreu esta manhã, por volta das 10:00 horas, na sede nacional da OM, em Lisboa. Na presença de grandes notáveis da Medicina e dos órgãos de comunicação social, o documento foi assinado pelo bastonário da OM, Miguel Guimarães, e pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, através da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

O protocolo visa a disponibilização online e gratuita de sistemas de apoio à decisão clínica internacionalmente reconhecidos. Estes sistemas têm como principal objetivo fornecer informação aos profissionais de saúde, nomeadamente aos médicos, que permita uma tomada de decisão clínica mais informada e baseada na melhor evidência científica.

Para o ministro da Saúde, a assinatura deste protocolo significa um passo importante na “luta entre médicos e o ‘Dr.Google’”, na medida em que foi dado “um passo na batalha do conhecimento contra a ignorância, daquilo que é a realidade científica contra a informação desvirtuada”.

Grande parte da informação estará disponível em inglês, contudo haverá tradução de alguns conteúdos para português, com o objetivo de facilitar a compreensão da população, uma vez que todos os portugueses poderão ter acesso a esta plataforma.

Segundo Miguel Guimarães, “quem irá assegurar o acesso destas plataformas para todos os portugueses será a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS)”.

“Este protocolo é um passo muito importante para médicos e para toda a sociedade: vai permitir a médicos e cidadãos um acesso livre à melhor informação, baseada em evidência científica”, sublinhou.

Por outro, através destes sistemas, todos os portugueses vão passar a ter acesso a um conjunto de ferramentas seguras e de grande qualidade em termos científicos.

“Num mundo tão digital e com acesso a tanta informação não filtrada, é essencial tanto para médicos como para os cidadãos saberem que estão a consultar informação de confiança que pode acrescentar segurança clínica às suas decisões”, frisou o bastonário.

Note-se que os quatro sistemas de apoio à decisão clínica – BMJ Best Practice, Cochrane Library, DynaMed Plus e UpToDate – irão estar acessíveis a partir de janeiro de 2019. O projeto terá a duração de três anos, renováveis.

Crónicas de uma pandemia anunciada
Editorial | Jornal Médico
Crónicas de uma pandemia anunciada

Era 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial de Saúde declarou o estado de Pandemia por COVID-19 e a organização dos serviços saúde, como conhecíamos até então, mudou. Reorganizaram-se serviços, redefiniram-se prioridades, com um fim comum: combater o SARS-CoV-2 e evitar o colapso do Serviço Nacional de Saúde, que, sem pandemia, já vivia em constante sobrecarga.

Mais lidas