Jornal Médico Grande Público

Leiria: Utentes de UCSP sem atendimento por falta de funcionários
DATA
02/10/2018 10:50:17
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Leiria: Utentes de UCSP sem atendimento por falta de funcionários

Os utentes da Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) Dr. Arnaldo Sampaio, em Leiria, estão constantemente sem atendimento por falta de funcionários administrativos, denunciou a Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM).

Em comunicado, a SRCOM explicou que os utentes não estão a ser atendidos porque, por vezes, não há funcionários administrativos para os inscrever.

"Uma vez que sem inscrição e registo informático, os restantes profissionais - médicos e enfermeiros - ficam impossibilitados de prestar os cuidados assistenciais à população", lê-se no comunicado, citado pela agência Lusa.

"Apesar dos alertas e denúncias, há mais de um ano que se verificam falhas no atendimento devido à sistemática falta de assistentes operacionais neste Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Pinhal Litoral", refere a nota assinada pelo presidente da SRCOM, Carlos Cortes.

Na UCSP Dr. Arnaldo Sampaio trabalham três administrativos, um dos quais está de férias e os restantes estão ausentes por doença, informou a nota.

A Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) revelou que o "Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral vai proceder, amanhã, ao reforço de assistentes técnicos no Centro de Saúde Arnaldo Sampaio com dois funcionários deslocados provisoriamente de outras unidades funcionais do ACES, estando prevista, no decurso da semana, novo reforço, com mais um assistente técnico, no âmbito da mobilidade".

A ARSC esclarece que a "entrada recente de 17 novos médicos no ACES do Pinhal Litoral - a maior contratação de clínicos na região Centro, decorrente do último concurso para médicos de Medicina Geral e Familiar - veio causar alguns constrangimentos no setor administrativo do ACES do Pinhal Litoral".

No entanto, a ARSC acrescentou que "está a desenvolver diligências para a contratação provisória e imediata de assistentes técnicos".

"Relembra-se ainda que se encontra a decorrer o concurso PREVPAP, destinado à regularização dos vínculos precários na Administração Pública, o que permitirá contratar mais funcionários para a área administrativa", refere ainda a ARSC.

Recorde-se que na semana passada, o Sindicato Independente dos Médicos (SIM) denunciou a falta de pessoal administrativo no centro de Saúde Arnaldo Sampaio, em Leiria.

Numa nota enviada à agência Lusa, o secretário-geral do SIM, Jorge Roque da Cunha, refere que foi enviado um ofício à presidente da Administração Regional de Saúde do Centro, Rosa Reis Marques, que denuncia a falta de funcionários administrativos.

"Há cerca de seis meses, após reformas e a saída de POC [funcionários do Programa Ocupacional de Emprego] do Centro de Emprego, a situação das colaboradoras administrativas do Centro de Saúde Dr. Arnaldo Sampaio, em Leiria, chegou à rotura. Após denúncias e apelos de médicos, a verdade é que ficaram só três administrativos, que são manifestamente insuficientes para aquele Centro de Saúde e sem qualquer prazo para solução", refere a missiva.

O SIM revelou que, "nas férias, o pior aconteceu", uma vez que, "dos três administrativos, só um ficou para garantir o apoio aos médicos, à autoridade de saúde e o atendimento telefónico".

A falta de funcionários resultou em "filas intermináveis, com natural insatisfação dos utentes e os horários sem hipótese de serem cumpridos".

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas