PR pede maior investimento orçamental na saúde mental
DATA
10/10/2018 18:26:18
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



PR pede maior investimento orçamental na saúde mental

O Presidente da República (PR), Marcelo Rebelo de Sousa, pediu à população em geral e aos políticos que olhassem mais para a saúde mental, defendendo um maior investimento orçamental nesta área.

"Não estou a pensar no Orçamento [do Estado para 2019] que está praticamente feito - também é importante que, de orçamento para orçamento, se aumente o investimento em saúde mental, é importante -, mas estou sobretudo a pensar nos orçamentos dos anos futuros", ressalvou, em resposta à comunicação social.

No âmbito do Dia Mundial da Saúde Mental, que se assinala hoje, Marcelo Rebelo de Sousa visitou a Unidade de Pedopsiquiatria do Centro de Saúde de Queluz, que acompanhou cerca de 600 crianças e jovens em 2017.

"O primeiro apelo é aos políticos, todos eles, deste momento e do futuro: que olhem mais para a saúde mental. Eu sei que os recursos são escassos e que há muitos desafios no domínio da saúde, mas a saúde mental é fundamental. É fundamental e quanto mais cedo se começar melhores são os resultados obtidos", afirmou.

"O segundo apelo é às portuguesas e aos portugueses, porque naturalmente que os políticos darão maior importância se os portugueses derem maior importância", acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa, considerando que "muitas vezes não pensam na saúde mental, acham que não é importante".

O PR referiu, ainda, que "não há uma família portuguesa que não tenha um ou vários problemas de saúde mental, nos mais novos ou nos menos jovens" e encorajou a população a "enfrentar e admitir isto, não ter vergonha de admitir", com mais movimentos e maior exigência neste domínio.

"Eu acho que isto é uma ação de cultura cívica, que já começou, já começou, mas que tem sido ainda muito lenta. Precisa de ser mais rápida", concluiu.

 

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas