Jornal Médico Grande Público

Especialistas reúnem-se no Porto para debater dislexia
DATA
21/11/2018 17:33:44
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Especialistas reúnem-se no Porto para debater dislexia

Cerca de uma centena e meia de especialistas vão reunir-se no Porto para debater a dislexia e abordar, pela primeira vez em Portugal, os constrangimentos vividos por adultos disléxicos, em contexto de trabalho e nos exames de código e de condução.

Estas e muitas outras questões vão estar em destaque no VI Congresso Internacional “Dislexia, Dificuldades e Dons”, que decorre de 23 a 24 de novembro, na Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti, cujo objetivo é promover o conhecimento científico e partilha de boas práticas no âmbito da dislexia.

O evento inclui, ainda, a realização de conferências que irão contar com intervenções de prestigiados investigadores internacionais, como o presidente da Associação Francesa de Dislexia, Vicent Lochmann, e Margaret Malpas, da Associação Britânica de Dislexia. Já entre os investigadores nacionais podem destacar-se Ana Paula Vale, da UTAD, Ana Paula Martins, da Universidade do Minho, e Vítor Cruz, da Universidade de Lisboa.

“A nossa missão tem sido potenciar a qualidade de vida de uma percentagem significativa da população portuguesa e enaltecer a sua capacidade criativa e os seus potenciais envergonhados e escondidos. Tudo isto tem de ser compreendido, alertado e defendido com sabedoria e determinação pelo Ministério da Educação e por todos nós enquanto profissionais e enquanto cidadãos.” afirma a presidente da Dislex, Helena Serra.

Note-se que a dislexia atinge 10% dos alunos com capacidade intelectual normal ou superior, afetando milhares de estudantes. De acordo com as estatísticas oficiais, em 2018, apresentaram-se a exames e provas de aferição 12.210 alunos com dislexia.

“A dislexia exige intervenção educativa de qualidade, em fase precoce do desenvolvimento da criança (pré-escolar e ensino básico). Alguns, não compreendidos na escola, saem dela magoados, revoltados optando, mais adiante, por comportamentos anti sociais o que, pessoal e coletivamente, constitui um peso grave. Por esse motivo, este congresso reveste-se de enorme importância” remata Helena Serra.

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas