Jornal Médico Grande Público

Indústria Farmacêutica nega ligação à aprovação de novas vacinas
DATA
30/11/2018 15:56:47
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Indústria Farmacêutica nega ligação à aprovação de novas vacinas

A Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma) diz ser “completamente alheia” à decisão do parlamento de incluir três novas vacinas no Programa Nacional de Vacinação (PNV).

Na sequência do “ruído gerado na opinião pública” sobre a introdução das vacinas da meningite B, do rotavírus e do Vírus do Papiloma Humano (HPV) para o sexo masculino no PNV, a Apifarma desmente qualquer tipo de ligação a esta decisão política.

“A decisão de incluir estas ou outras vacinas no PNV é uma decisão que compete aos organismos técnicos e científicos competentes do Ministério da Saúde, tendo em conta a defesa da saúde pública”, lê-se no esclarecimento da Apifarma, citado pela agência Lusa.

“Reiteramos que somos completamente alheios a qualquer iniciativa legislativa que os senhores deputados entenderam tomar sobre esta matéria”, sublinha a indústria farmacêutica.

Na nota, a Apifarma nega “veementemente qualquer insinuação de exercer pressão junto da Assembleia da República para a inclusão de vacinas no PNV”.

A associação destaca, ainda, a importância da imunização e os benefícios das vacinas, nomeadamente o seu contributo para a saúde pública, e espera que “o ruído gerado em torno deste caso não coloque em causa a perceção e o reconhecimento que a população portuguesa tem do valor da vacinação”.

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas