×

Alerta

JUser: :_load: Não foi possível carregar o utilizador com o ID: 34880
FCTUC cria aplicação que permite comunicar a quem tem limitações na voz
DATA
03/12/2018 11:03:38
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


FCTUC cria aplicação que permite comunicar a quem tem limitações na voz

Estudantes do curso de Engenharia Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) desenvolveram uma aplicação que permite a quem tem limitações na voz comunicar de forma mais eficaz no seu dia-a-dia.

O objetivo da aplicação “clave de fala” passa por “possibilitar que as pessoas limitadas da voz comuniquem de forma eficaz no seu quotidiano”, afirma a FCTUC, numa nota enviada à agência Lusa.

André Correia, António Eloi, Cláudio Gomes, Joana Lameiras, Pedro Silva e Telma Portugal são os autores da aplicação (app) que, a partir de quarta-feira, pode ser “descarregada gratuitamente na Play Store, nesta fase, em versão Android”, adianta a FCTUC.

A app foi desenvolvida no âmbito da cadeira de Processos de Gestão e Inovação (PGI), sendo que a ideia surgiu justamente porque um dos elementos do grupo tem um problema auditivo.

Para pessoas com problemas auditivos, uma tarefe tão simples como “ir à farmácia pedir um medicamento para a gripe pode ser uma tarefa complicada”, defendem os autores da app, citados pela FCTUC.

“Devido à suas dificuldades de comunicação, as pessoas limitadas da voz, pessoas com limitações na fonação, tendem a isolar-se. Por isso, a nossa missão é ajudar”, através desta aplicação, que dá “uma nova voz a quem mais precisa”, promovendo a sua inclusão.

Intuitiva, prática, rápida e user friendly são algumas das características desta nova aplicação, dividida por seis categorias – saúde, transportes, direitos, alimentação, compras e direções, explicita a FCTUC.

Graças a estas categorias, a app é capaz de gerar “frases rápidas de acordo com as necessidades do utilizador, não sendo necessário escrever”, mas “a qualquer momento, a frase pode ser editada”, explica a nota, referindo que a aplicação “também tem uma opção para transformar o texto em mensagem de voz”.

Por outro lado, sublinham os estudantes da FCTUC, “a aplicação possui uma backend que aprende continuamente com o perfil e com as ações do utilizador, de forma a sugerir a melhor frase possível a qualquer momento”.

Note-se que o processo de desenvolvimento da “clave de fala” contou com o apoio da Associação Portuguesa de Limitados da Voz (APLVoz).

“Foi essencial ouvir a APLVoz. Percebemos melhor as reais necessidades destas pessoas e permitiu dotar a aplicação com as respostas mais adequadas”, salientam os autores da app.

O software da aplicação será colocado em domínio público para que “outros estudantes, investigadores ou simplesmente pessoas com curiosidade e vontade de ajudar vão poder contribuir para este projeto social”, concluem os estudantes da FCTUC.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.