Bastonário: Tutela não pode ignorar necessidades do Hospital D. Estefânia
DATA
12/12/2018 15:07:10
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Bastonário: Tutela não pode ignorar necessidades do Hospital D. Estefânia

O bastonário da Ordem dos Médicos (OM) pediu a intervenção da ministra da Saúde, Marta Temido, na resolução da situação vivida no Hospital Dona Estefânia, onde os chefes de equipa da Urgência anunciaram hoje a demissão.

Após ter ouvido a equipa demissionária, Miguel Guimarães destacou aos jornalistas o facto de os chefes de serviço já terem feito vários alertas à administração para que contratasse mais médicos.

“Estes médicos pediram a demissão porque esta situação no serviço de urgência é muito complicada”, frisou o bastonário, apresentando como exemplo a falta de pessoal e o facto de os planos de contingência do hospital não conseguirem ser assegurados na totalidade.

“A tutela sabe desta situação e não pode ignorar as necessidades deste hospital, que serve uma população pediátrica importante e ninguém do ministério falou com os clínicos demissionários”, acrescentou.

Dirigindo-se à ministra da Saúde, Miguel Guimarães pediu que a situação vivida no hospital pediátrico fosse conhecida pela tutela, afirmando que há médicos que estão dispostos a trabalhar no hospital.

“A falta de médicos é uma realidade incontornável neste hospital e a isso junta-se a falta de enfermeiros e de assistentes operacionais. Temos uma situação complexa e merece a atenção de quem tem responsabilidade política”, referiu.

Redimensionar as listas de utentes e rever a Carreira Médica é um imperativo
Editorial | Jornal Médico
Redimensionar as listas de utentes e rever a Carreira Médica é um imperativo

A dimensão das listas de utentes e a Carreira Médica são duas áreas que vão exigir, nos próximos tempos, uma reflexão e ação por parte dos médicos de família.

Mais lidas