ARSLVT e Câmara de Sintra assinam protocolo para instalação de unidade de saúde em Belas
DATA
14/12/2018 10:36:23
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



ARSLVT e Câmara de Sintra assinam protocolo para instalação de unidade de saúde em Belas

O protocolo de cooperação para a instalação de uma unidade de saúde em Belas será assinado hoje pelo presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, e pelo presidente da Câmara de Sintra, Basílio Horta.

A cerimónia da assinatura do protocolo, que acontece hoje às 14:30 na Quinta Mont Fleuri, será presidida pela ministra da Saúde, Marta Temido.

Este acordo representa o primeiro passo para que a população de Belas possa aceder a uma unidade do Serviço Nacional de Saúde naquela freguesia. Atualmente, os cerca de 11.400 utentes de Belas são atendidos em Monte Abraão.

Para Luís Pisco, “este protocolo é mais um exemplo da estreita colaboração entre a Saúde e o Poder Local, permitindo reforçar a aposta em Cuidados de Saúde Primários de qualidade e em proximidade com as populações, disponíveis em instalações adequadas às necessidades de utentes e profissionais”.

O protocolo estabelece que o município de Sintra irá proceder a obras de adaptação da antiga escola pública de Belas, adequando o edifício à prestação de cuidados de saúde. O espaço será arrendado pela ARSLVT, que se compromete a dotar a unidade de recursos humanos e materiais para o pleno funcionamento de uma unidade de saúde. O acordo prevê, ainda, que mais tarde o município ceda o espaço à ARSLVT a título gratuito.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas