ARS do Centro vai repor dois médicos na USF de Miranda do Corvo
DATA
20/12/2018 10:43:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



ARS do Centro vai repor dois médicos na USF de Miranda do Corvo

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro anunciou que vai repor, já em janeiro, dois médicos em falta na Unidade de Saúde Familiar (USF) Trilhos do Dueça, de Mirando do Corvo, no distrito de Coimbra.

A USF viu-se obrigada a reduzir o horário de funcionamento das 20:00 para as 17:45 devido a “constrangimentos e falta de recursos humanos”. A unidade de saúde está a funcionar, desde do dia 11 de dezembro, com metade dos seis médicos do corpo clínico, depois de uma médica ter sido agredida durante uma consulta.

Recorde-se que a estrutura já funcionava desde o verão com menos duas médicas, após uma das clínicas se ter transferido para a Lousã e outra ter entrado em licença de maternidade.

Em comunicado, a ARS do Centro anunciou a contratação de duas médicas aposentadas para a USF, “o que possibilitará, já a partir de janeiro de 2019, retomar o horário de funcionamento até às 20:00”.

"Trata-se de contratações que visam suprir a falta de duas médicas por baixa e que produzem efeitos a partir d0 dia 01 e 21 de janeiro, respetivamente", refere o comunicado.

Na mesma nota, a ARS informa que está prevista, no processo de concurso a abrir em breve para médicos de Medicina Geral Familiar, "a colocação de mais um médico na USF Trilhos Dueça e de mais seis novos clínicos no Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior".

Devido à falta de recursos humanos, a Assembleia Municipal de Miranda do Corvo aprovou, no passado dia 30 de novembro, por unanimidade, uma moção a exigir a colocação de mais médicos e enfermeiros na Unidade de Saúde Familiar Trilhos do Dueça.

Doença Venosa

Isolamento social com apoio de proximidade e em segurança
Editorial | Jornal Médico
Isolamento social com apoio de proximidade e em segurança

O futuro tem hoje 5 dias! Inacreditável! Quem é que tem agenda para mais de 5 dias? A pandemia COVID-19 alterou profundamente a vida quotidiana, a prestação de cuidados de saúde e a organização dos serviços de saúde está totalmente alterada. O isolamento social é a orientação primordial de confrontação da pandemia. Mas é necessário promover o apoio de proximidade essencial e aprender a fazê-lo em segurança.

Mais lidas