Frio/gripe: Centros de saúde de LVT ativam contingência, alargando horários e reforçando equipas
DATA
04/01/2019 16:31:07
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Frio/gripe: Centros de saúde de LVT ativam contingência, alargando horários e reforçando equipas

Os centros de saúde da região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) vão começar, a partir de hoje, a ativar os seus planos de contingência devido ao frio, reforçando equipas e alargando os horários.

A recomendação foi feita hoje pelo presidente da Administração Regional de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco, que, em declarações à agência Lusa, se comprometeu ainda a divulgar nos próximos dias os horários e disponibilidades alargadas dos centros de saúde, mesmo ao fim de semana, numa altura em que as urgências hospitalares começam a sentir maior pressão e afluência.

Luís Pisco explicou que o pedido de ativação dos planos de contingência dos centros de saúde implica que haja um reforço de equipas dos profissionais de saúde e um alargamento dos horários normais das unidades. O presidente da ARSLVT lembra que o tempo frio começou após o fim de ano, considerando que esta é a altura correta para ativar os planos de contingência.

Luís Pisco apela ainda aos utentes que se dirijam aos centros de saúde sempre que possível e em casos em que não há verdadeiramente uma situação urgente, evitando assim deslocações desnecessárias às urgências hospitalares.

Nos últimos dias, as urgências dos hospitais de Almada, Setúbal e Barreiro estiveram sobrelotadas e com elevada afluência.

Segundo o boletim do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) sobre a gripe, na última semana do ano passado, a gripe apresentava tendência crescente, mas eram ainda poucos os casos reportados em unidades de cuidados intensivos.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas