Presidente da administração do CHLN vai ser substituído
DATA
18/01/2019 10:28:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Presidente da administração do CHLN vai ser substituído

O Governo vai substituir o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Lisboa Norte (CHLN), Carlos Martins.

Recorde-se que o mandato de Carlos Martins terminou a 31 de dezembro de 2018. Esta quinta-feira o responsável soube que vai ser substituído à frente da administração dos Hospitais Santa Maria e Pulido Valente.

"Encaro isto com naturalidade. Foram seis anos desta casa que vai marcar a minha vida para sempre e tenho o maior orgulho de ter servido esta instituição", afirmou Carlos Martins, em declarações à agência Lusa. Até ao momento ainda não se sabe quem será o substituto de Carlos Martins.

Carlos Martins afirma que encara esta substituição com naturalidade e neutralidade, garantindo que até deixar definitivamente a administração irá continuar a cumprir a sua missão “com empenho e ambição”.

“Tenho 25 anos no setor da saúde e irei partilhar a experiência na área da docência e vou abraçar um novo desafio, mas sei que não será no Serviço Nacional de Saúde”, afirmou.

Com a saída das funções pública, Carlos Martins disse que vai recuperar na plenitude os seus direitos de cidadania, podendo voltar a “fazer política, a comentar políticas e a ter participação política”.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.