DGS: Taxa provisória de mortalidade infantil dentro da normalidade
DATA
21/01/2019 18:10:12
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


DGS: Taxa provisória de mortalidade infantil dentro da normalidade

A Direção-Geral da Saúde (DGS) considera que a taxa provisória de mortalidade infantil em Portugal, referente a 2018, está dentro da normalidade e continua abaixo da média europeia.

Em declarações aos jornalistas, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, explicou que os dados provisórios da mortalidade infantil apontam para 3,28 óbitos no primeiro ano de vida em cada mil nascimentos, valor muito semelhante ao de 2016.

Note-se que os dados relativos à taxa de mortalidade infantil são ainda provisórios, dado que a autoridade de saúde aguarda o número de nascimentos apurado pelo Instituto Nacional de Estatística.

“O número de mortes está dentro do que é expectável para o nosso país, de acordo com a nossa linha de base. [Em 2018] é a taxa dentro da variação habitual da mortalidade infantil, estando dentro do que é esperado”, disse Graça Freitas aos jornalistas.

De forma a ilustrar esta análise, a diretora-geral da Saúde comparou números brutos de mortalidade entre 2016 e 2018. Em 2016 morreram 283 crianças até ao primeiro ano de vida e em 2018 morreram 289.

Desta forma, comparando o ano de 2016 com 2018, no ano passado terá havido um acréscimo de seis mortes em crianças até ao um ano de idade, num universo estimado de 88 mil nascimentos.

De acordo com os dados provisórios, em 2018 a taxa de mortalidade infantil foi de 3,28 mortes por cada mil nados-vivos, enquanto em 2017 terá sido de 2,69 e em 2016 de 3,24.

2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos
Editorial | Rui Nogueira
2020: Linhas de provocação de uma nova década com novas obrigações para novos contextos

Este ano está quase a terminar e uma nova década vai chegar. O habitual?! Veremos! Na saúde temos uma viragem em curso e tal como há 40 anos, quando foi fundado o Serviço Nacional de Saúde (SNS), há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções.

Mais lidas