Saúde Mental: Barlavento promove consultas comunitárias
DATA
22/01/2019 18:19:39
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Saúde Mental: Barlavento promove consultas comunitárias

Através de uma colaboração entre os Cuidados de Saúde Primários da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve e o departamento de Psiquiatria do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, os adultos do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) deBarlavento vêem agora o acesso a consultas de Saúde Mental facilitado. A ação teve início em agosto de 2018.

O objetivo é “aproximar e reforçar a acessibilidade deste tipo de apoio e prestação de cuidados à população”, refere a ARS Algarve em comunicado, e a implementação feita através do SNS +Proximidade, com equipas de Saúde Mental comunitárias. Estas são constituídas por Psiquiatra, Psicologia, Enfermagem, Terapêutica Ocupacional, de modo a “facilitar a intervenção de cuidados de Saúde Mental na comunidade e possibilitar aos utentes procurarem ajuda e tratamento junto de profissionais de saúde nas instalações dos Centros de Saúde da região algarvia”.

A referenciação é feita pelos serviços hospitalares ou pelo Médico de Família, “sendo atendidos e recebidos pelas equipas de Saúde Mental comunitária no Centro de Saúde, evitando desta forma uma deslocação ao hospital”, explica a ARS Algarve.

Também o Centro de Saúde de Lagos e o Centro de Saúde de Monchique implementaram as consultas comunitárias. Prevê-se que, durante o primeiro trimestre, sejam abertas consultas nos Centros de Saúde de Aljezur e de Vila do Bispo, e ainda no Centro de Saúde Silves. A meta é abranger todo o ACES Barlavento, refere a ARS Algarve.

A mudança necessária
Editorial | Jornal Médico
A mudança necessária

Os últimos meses foram vividos por todos nós num contexto absolutamente anormal e inusitado.

Atravessamos tempos difíceis, onde a nossa resistência é colocada à prova em cada dia, realidade que é ainda mais vincada no caso dos médicos e restantes profissionais de saúde. Neste âmbito, os médicos de família merecem certamente uma palavra de especial apreço e reconhecimento, dado o papel absolutamente preponderante que têm vindo a desempenhar no combate à pandemia Covid-19: a esmagadora maioria dos doentes e casos suspeitos está connosco e é seguida por nós.

Mais lidas