Canadá atualiza guia alimentar: mais vegetais e menos animais
FONTE
dbreen/PixaBay
DATA
23/01/2019 12:39:40
AUTOR
Jornal Médico
Canadá atualiza guia alimentar: mais vegetais e menos animais

Pela primeira vez em 12 anos, o Canadá atualizou o guia alimentar do país e recomendou à população que aumente o consumo de vegetais e reduza os produtos lácteos, a carne e o peixe.

"Comer alimentos como vegetais, frutas, grãos integrais e proteínas vegetais pode ter efeitos positivos na saúde", apontou o Canadian Food Guide.

Outra novidade do guia, que o Canadá começou a publicar em 1942 como um programa de nutrição durante a Segunda Guerra Mundial, é a recomendação da água como bebida principal e a redução do consumo de sumos e leites achocolatados para diminuir a ingestão de açúcar. Durante décadas, foram dados leites aromatizados a crianças como estímulo para consumir laticínios, porém o açúcar presente supera qualquer benefício nutricional.

Acrescenta-se, ainda, o conselho para que os canadianos comam mais alimentos cozinhados em casa.

Atualmente, 30% dos gastos com alimentação dos canadianos são em compras de refeições já preparadas.

A recomendação para reduzir o consumo de produtos lácteos e carnes foi criticada por produtores canadianos, segundo os quais estes conselhos terão efeitos negativos na saúde da população a longo prazo.

A Associação de Produtores de Laticínios do Canadá apontou, em comunicado, que as recomendações do novo Canadian Food Guide "não refletem as evidências científicas mais avançadas".

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas