Sindicatos dos enfermeiros reúnem hoje com o Governo
FONTE
Luis Melendez/Unsplash
DATA
30/01/2019 09:40:45
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




Sindicatos dos enfermeiros reúnem hoje com o Governo

A ministra da Saúde disse esperar que enfermeiros e Governo estejam à altura de responder às necessidades de um Serviço Nacional de Saúde "que funciona de forma tranquila" e que "está lá quando os portugueses precisam".

Sobre a reunião de negociação suplementar que o Governo tem hoje com os sindicatos, a ministra Marta Temido disse aos jornalistas que espera que seja "uma sessão de trabalho produtiva", na qual se perceba "o percurso já feito" e em que pontos não é possível haver mais aproximação das partes.

"Esperamos que todos saibam estar à altura de responder ao que os portugueses esperam de nós, que é um SNS que funciona de forma tranquila, que responde com prontidão e rapidez e que está lá quando os portugueses precisam", afirmou a ministra à margem da inauguração de uma nova unidade no hospital Curry Cabral, em Lisboa.

Marta Temido escusou-se a entrar em detalhe sobre o processo de negociação e sobre o que está em cima da mesa na reunião de quarta-feira, lembrando que para a negociação complementar ficaram "alguns aspetos de natureza remuneratória".

Os dois sindicatos que suspenderam a greve cirúrgica, marcada de 14 de janeiro a 28 de fevereiro, vão estar hoje na reunião com o Governo e já admitiram reativar a paralisação suspensa caso não cheguem a um acordo definitivo.

Numa mensagem aos seus sindicalizados, a Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros disse que "levantará de imediato a suspensão da greve caso o Governo mostre falta de empenho nas negociações ou uma posição irredutível que desrespeite" as reivindicações dos enfermeiros.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas