Investigadores do Porto recorrem a nariz eletrónico para diagnosticar asma
DATA
13/02/2019 15:18:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Investigadores do Porto recorrem a nariz eletrónico para diagnosticar asma

Investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) desenvolveram um algoritmo que, ao recorrer a um dispositivo médico designado nariz eletrónico, pretende auxiliar no "diagnóstico e monitorização" de doentes com sintomas de asma.

Em entrevista à Lusa, Mariana Farraia, investigadora do ISPUP, explicou que o estudo, recentemente distinguido pela European Academy of Allergy & Clinical Immunology, surgiu da "necessidade que existe na área, de pesquisar novas tecnologias e ferramentas" que auxiliem os clínicos no diagnóstico e monitorização de doentes com asma.

O estudo, denominado Human Volatilome Analysis To Identify Individuals With Asthma In Clinical Settings, que está agora em fase de revisão para ser submetido a publicação, desenvolveu-se em duas fases: na criação de um algoritmo e na validação clínica, tendo recrutado 207 pacientes do Centro Hospitalar de São João, no Porto.

"O objetivo era testar esta tecnologia para avaliar asmáticos durante as consultas e perceber de que forma é que a avaliação do ar exalado poderia ajudar no próprio diagnóstico da asma", afirmou Mariana Farraia, adiantando que “existem diferenças no ar exalado de pessoas que têm sintomas de asma".

"Através de um tubo, recolhemos as amostras do ar exalado dos pacientes. As amostras foram posteriormente colocadas no dispositivo, que avaliou e analisou os perfis dos compostos presentes no ar", esclareceu.

Segundo a investigadora, bolseira da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), o recurso a este dispositivo médico, que está a ser "amplamente estudado a nível europeu", poderá também vir a ajudar "no ‘target’ de terapias".

Dados do Inquérito Nacional de Saúde (INS) estimam que em Portugal, a prevalência da asma seja de 5,3%, aproximadamente 530 mil pessoas, sendo que 1,4% dos portugueses sofrem de formas mais graves da doença.

O trabalho dos investigadores do ISPUP foi também distinguido, em novembro de 2018, no ISAF - International Severe Asthma Forum, que decorreu em Madrid.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas