Prémio Maria José Nogueira Pinto: Candidaturas à 7.ª edição abertas até 10 de maio
DATA
06/03/2019 12:15:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



Prémio Maria José Nogueira Pinto: Candidaturas à 7.ª edição abertas até 10 de maio

Já estão abertas as candidaturas à 7.ª Edição do Prémio Maria José Nogueira Pinto. O processo de candidaturas à nova edição desta distinção, que visa reconhecer o trabalho desenvolvido na área de responsabilidade social, decorre até ao próximo dia 10 de maio.

Todas as entidades que integram a economia social (art. 4º da Lei nº 30/2013), que se tenham destacado na área da responsabilidade social, poderão submeter os seus projetos através da ficha de candidatura digital que se encontra disponível no website oficial do prémio: http://www.premiomariajosenogueirapinto.pt/.

O Prémio Maria José Nogueira Pinto confere, anualmente, um valor pecuniário de 10.000€ ao Grande Vencedor e a cada uma das Menções Honrosas é atribuído o valor de 1.000€. Trata-se de uma iniciativa de Responsabilidade Social Corporativa da MSD Portugal com o propósito de apoiar e incentivar as instituições a continuar o seu trabalho, reconhecendo o seu impacto na comunidade e a sua natureza inovadora.

Em 2018, o Prémio Maria José Nogueira Pinto alcançou novamente um número recorde de candidaturas, registando um total de 125 projetos inovadores, provenientes de instituições de vários pontos do país. “EKUIzar para mudar o Mundo!”, da Associação Leque, foi o grande vencedor da 6ª Edição. Um projeto que pretende levar mais longe uma metodologia de alfabetização inclusiva única: tendo por base um baralho composto por 26 cartas, pretende ajudar as crianças a ler e a escrever, ensinando, simultaneamente, a fonética, braille, língua gestual e o alfabeto.

O júri do galardão é presidido por Maria de Belém Roseira e constituído por mais seis elementos Anacoreta Correia, Clara Carneiro, Isabel Saraiva, Vítor Feytor Pinto, Jaime Nogueira Pinto e o Pedro Marques (este último, em representação da MSD).

A cerimónia de atribuição do Prémio deverá decorrer no início de julho.

O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo
Editorial | Jornal Médico
O Novo Livro Azul tem um passado e um futuro a defender e a promover num novo ciclo

O Novo Livro Azul da APMGF é um desejo e uma necessidade. Volvidos 30 anos é fácil constatar que todos os princípios e valores defendidos no Livro Azul se mantêm incrivelmente atuais, apesar da pertinência do rejuvenescimento que a passagem dos anos aconselha. É necessário pensar, idealizar e projetar a visão sobre os novos centros de saúde, tendo em conta a realidade atual e as exigências e necessidades sentidas no futuro que é já hoje. Estamos a iniciar um novo ciclo!

Mais lidas