Portugal pode não atingir eliminação da Hepatite C até 2030
DATA
12/03/2019 16:36:12
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Portugal pode não atingir eliminação da Hepatite C até 2030

Atualmente estima-se que existem em Portugal 89.200 de doentes com hepatite C. De acordo com os parâmetros da Organização Mundial da Saúde e tendo por base os níveis das 24 políticas de intervenção pública existentes no País, o cálculo desta análise indica que Portugal não vai alcançar a eliminação até 2030.

Este cálculo matemático é possível através da consulta da ferramenta inovadora Let’s End HepC (LEHC), desenvolvida pela Universidade Católica Portuguesa e que avalia o impacto das políticas de saúde pública na eliminação da Hepatite C (VHC).

A duas semanas do Governo ter mudado o modelo de financiamento e cortado a verba do orçamento para as hepatites virais, o médico e coordenador científico de saúde pública do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa, Ricardo Baptista Leite,  refere que “O Governo tem neste momento todas as ferramentas ao seu dispor para tornar possível a eliminação antes de 2030, basta que a vontade política acompanhe a evidência científica. Enquanto Academia, estamos inteiramente à disposição das entidades públicas para trabalharmos juntos de forma a que a eliminação da hepatite C seja uma realidade”.

Segundo comunicado enviado ao nosso jornal, a ferramenta, que contou com o apoio financeiro da Gilead Sciences, revela qual a probabilidade da eliminação da doença recorrendo a um algoritmo matemático que permite o processamento de dados epidemiológicos da doença a nível local conjugando-os com a análise atual de 24 políticas.

As certezas enganadoras sobre os Outros
Editorial | Mário Santos
As certezas enganadoras sobre os Outros

No processo de reflexão da minha prática clínica, levo em conta para além do meu índice de desempenho geral (IDG) e da satisfação dos meus pacientes, a opinião dos Outros. Não deixo, por isso, de ler as entrevistas cujos destaques despertam em mim o interesse sobre o que pensam e o que esperam das minhas funções, como médico de família. Selecionei alguns títulos divulgados pelo Jornal Médico, que mereceram a minha atenção no último ano: