Travar a progressão da Doença de Parkinson está mais perto de ser uma realidade
DATA
13/03/2019 10:47:06
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Travar a progressão da Doença de Parkinson está mais perto de ser uma realidade

Interferir com a acumulação de aglomerados de proteínas no cérebro de doentes com Parkinson ou outras doenças neurodegenerativas, através da remoção dessas proteínas, pode estar “a poucos anos” de ser uma realidade, afirma o professor da Universidade de Medicina de Goettingen, na Alemanha, Tiago Outeiro, que vai partilhar a sua experiência no congresso nacional da Sociedade Portuguesa de Doenças do Movimento (SPDMov) a 15 e 16 de março, no Hotel Curia Palace, em Aveiro.

“Sabemos hoje que há diferentes aglomerados de proteínas que se acumulam no cérebro dos doentes e estão associadas a patologias como a doença de Parkinson, a doença de Alzhemier ou a doença de Huntington. A aglomeração dessas proteínas é significativamente mais frequente em pessoas que têm uma destas doenças e aumenta à medida que a doença progride”, começa por explicar o investigador.

“Os estudos laboratoriais e os ensaios clínicos que estão a decorrer atualmente visam perceber de que forma é que estes aglomerados de proteínas se formam e se interferir na sua acumulação pode vir a travar a progressão destas doenças neurodegenerativas”, acrescenta Tiago Outeiro.

A doença de Parkinson é a segunda doença neurodegenerativa mais comum depois da doença de Alzheimer e estima-se que afeta cerca de 20 mil portugueses. Poder travar a progressão desta e de outras doenças de neurodegenerativas é algo que pode estar muito próximo.   

O estado da arte e os desafios futuros nesta área vão estar em foco do congresso nacional da SPDMov, que este ano se dedica ao tema “A Clínica nas Doenças do Movimento”. O professor Tiago Outeiro vai apresentar resultados da sua investigação e também partilhar com os participantes do congresso o status dos ensaios clínicos que estão a decorrer, a medição dos resultados e avaliação das várias estratégias para interferir com o curso da doença de Parkinson e outras doenças degenerativas.

Doença de Parkinson, distonia, tremor, ataxia e doenças do movimento na criança são alguns dos temas que estarão em destaque no congresso, onde serão também atribuídos prémios aos melhores trabalhos submetidos.

You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade
Editorial | António Luz Pereira, Direção da APMGF
You've got mail! - quando um aumento da acessibilidade não significa melhoria da acessibilidade

No ano de 2021, foram realizadas 36 milhões de consultas médicas nos cuidados de saúde primários, mais 10,7% do que em 2020 e mais 14,2% do que em 2019. Ou seja, aproximadamente, a cada segundo foi realizada uma consulta médica.