Mais de 140 pessoas usufruíram de consultas de prescrição social em cinco meses
DATA
14/03/2019 12:39:14
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Mais de 140 pessoas usufruíram de consultas de prescrição social em cinco meses

Até ao final de fevereiro, 143 utentes da Unidade de Saúde Familiar (USF) da Baixa usufruíram de consultas de prescrição Social, um projeto que está em curso na Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) desde o final de setembro que já em abril vai abranger a USF Almirante, também no centro de Lisboa.

A dar os primeiros passos em Portugal, os projetos de prescrição Social visam ligar os utentes dos Cuidados de Saúde Primários aos recursos de apoio na comunidade, facilitando as respostas aos problemas e necessidades sociais que têm impacto na saúde destas pessoas.

“Existem fatores sociais – relacionados com a educação, habitação, emprego, vizinhança, imigração – com grande impacto na saúde individual de cada um. Por isso, nem sempre a prescrição médica é a mais eficaz, nem sempre o serviço de saúde é o mais adequado na promoção de saúde e bem-estar de uma pessoa”, explicam os promotores do projeto em Portugal, Cristiano Figueiredo, médico de família na USF da Baixa e Andreia Coelho, assistente social na mesma unidade.

Das 143 pessoas atendidas na consulta de prescrição social, a maioria foi composta por mulheres. Quem recorreu ao serviço por iniciativa própria fê-lo para pedir isenção de taxas moderadoras, reembolsos de fraldas, por questões relacionadas com pensões de invalidez ou baixas médicas. Quando os utentes foram referenciados por profissionais de saúde da USF da Baixa, os motivos da consulta prenderam-se com o isolamento social, sedentarismo, imigração/integração social e situações do foro da Saúde Mental.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas