36.º ENMGF: ARS Norte quer 25 novas USF por ano
DATA
14/03/2019 18:56:01
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS




36.º ENMGF: ARS Norte quer 25 novas USF por ano

O presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte, Carlos Nunes, afirmou que a estrutura está empenhada na reconfiguração dos cuidados de saúde primários (CSP) da região em unidades de saúde familiar (USF) nos próximos cinco anos.

Para tal, a meta da ARS Norte para abertura de novas USF é de 25 por ano, avançou o responsável, que falava hoje de manhã, em Braga, na cerimónia de abertura do 36.º Encontro Nacional de Medicina Geral e Familiar (ENMGF).

Consciente de que a estrutura a que preside – há precisamente dois meses – tem a sua quota-parte de responsabilidade na resolução dos problemas de escassez de recursos humanos e de falta de infraestruturas, Carlos Nunes garante que têm sido envidados esforços no sentido de resolver estas lacunas e manter, na área de influência desta ARS, a situação atual de inexistência de utentes sem médico de família atribuído”.

“Nos próximos anos, 50% dos médicos de família da região Norte vão atingir a idade da reforma, pelo que termos que tentar ao máximo reter todos os formandos e internos da especialidade”, avançou o responsável.

Entre as prioridades da ARS Norte está também “o desenvolvimento dos Agrupamentos dos Centros de Saúde (ACES) da região, no sentido de ser incrementado um maior número de projetos-piloto e de fomentada a autonomia destas estruturas locais, para desta forma poderem apresentar soluções e respostas locais a problemas que se colocam a um nível local”, concluiu Carlos Nunes.

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas