DGS apresenta novo Plano de Ação para a Literacia em Saúde
DATA
27/03/2019 10:45:45
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


DGS apresenta novo Plano de Ação para a Literacia em Saúde

A DGS apresentou, ontem, no NewsMuseum o Plano de Literacia em Saúde 2019-2021.

A literacia em saúde está associada à literacia e implica o conhecimento das pessoas, motivação e competências para aceder, compreender, avaliar e aplicar informações de saúde para fazer julgamentos e tomar decisões no dia a dia sobre cuidados de saúde, prevenção de doenças e promoção de saúde para manter ou melhorar a qualidade de vida durante todo o percurso de vida.

Segundo informações apresentadas pela DGS, 5 em cada 10 portugueses têm níveis reduzidos de literacia em saúde. Esta incapacidade de aceder e compreender informação, influenciam diretamente os comportamentos em saúde e o estado de saúde individual.

A apresentação do Plano de Literacia em Saúde da DGS pretende, com o aumento de informação compreendida pela população: reduzir o número de internamentos, aumentar a qualidade de vida, diminuir a afluência às urgências.

O plano foi apresentado pelo coordenador Miguel Arriaga, tendo marcado presença no evento a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.