Dor crónica atinge mais de 30% dos adultos portugueses
DATA
02/04/2019 15:16:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Dor crónica atinge mais de 30% dos adultos portugueses

O XIV Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas vai realizar-se, de 4 a 6 de abril, no Hotel Meliã Madeira Mare, no Funchal.

“Pretendemos promover o debate sobre o impacto social da dor crónica e criar um espaço destinado à reflexão e discussão de assuntos relacionados com a dor, em particular para os profissionais da Macaronésia (Madeira, Canárias, Açores, Cabo Verde) e do território peninsular de Portugal e Espanha”, explica o presidente do XIV Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas, Duarte Correia.

Em Portugal, estima-se que a dor crónica atinja mais de 30 por cento dos adultos portugueses. As repercussões de natureza económica são elevadas, calculando-se que o custo anual da dor crónica seja superior a 3 mil milhões de euros. Cerca de metade (1,6 mil milhões de euros) deve-se a despesas com cuidados de saúde, enquanto que o restante resulta dos chamados custos indiretos, tais como o absentismo e as reformas antecipadas provocadas pela dor crónica.

O Fórum abordará o panorama do tratamento da dor numa perspetiva multidisciplinar e interdisciplinar, através de cursos práticos, workshops, debates, simpósios, painéis e conferências magistrais.

O Fórum de Dor das Ilhas Atlânticas, que promove este evento, é uma sociedade científica sem fins lucrativos, que procura promover o conhecimento, o estudo e o tratamento da dor em particular nas Ilhas da Macaronésia (Madeira, Canárias, Açores, Cabo Verde).

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas