CGC Genetics é o 1º laboratório privado português acreditado na área de Genética Médica
DATA
04/04/2019 14:55:24
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


CGC Genetics é o 1º laboratório privado português acreditado na área de Genética Médica

Reconhecido internacionalmente no diagnóstico de doenças genéticas, o CGC Genetics é agora o 1º laboratório privado português a receber acreditação em genética médica. Uma distinção atribuída pelo IPAC (Instituto Português da Acreditação) num processo iniciado no ano de 2015.

A acreditação recebida baseia-se no padrão internacional ISO 15189, usado para avaliar laboratórios clínicos em todo o mundo. Desta forma, são assim certificadas, a todos os níveis, as competências técnicas e as boas práticas levadas a cabo pelo CGC Genetics, o laboratório privado de genética mais antigo de Portugal.

Para a atribuição desta distinção, o IPAC avaliou todos os componentes do laboratório que afetam a produção de dados relacionados com os testes e consequentemente com os resultados. Por este processo, a acreditação de laboratórios dá aos clientes a garantia de qualidade e competência, pelo elevado grau de exigência inerente ao normativo.

Nos últimos anos, o CGC Genetics efetuou vários investimentos na ordem dos 3 milhões de euros, entre os quais em equipamentos de última linha em de “New Generation Sequencing” (NGS), que permitem num único teste sequenciar um gene, vários genes ou o exoma completo. Uma tecnologia que proporcionou um avanço significativo na capacidade de diagnóstico genético ao encurtar prazos e diminuir custos.

Para a CEO do CGC Genetics, Purificação Tavares, esta “acreditação assume-se como o corolário de todo o investimento. Sempre tivemos elevada competência técnica, mas agora, com esta acreditação, podemos demonstrá-la para lá de qualquer subjetividade”.

De salientar que em Portugal existem apenas 5 laboratórios de genética médica privados.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas