Incidência de cancro colorretal está a aumentar em adultos mais jovens
DATA
17/05/2019 11:07:58
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Incidência de cancro colorretal está a aumentar em adultos mais jovens

A incidência de casos de cancro colorretal está a aumentar em pessoas com menos de 50 anos em pelo menos sete países desenvolvidos, embora esteja a diminuir ou a estabilizar na população mais velha.

Um estudo publicado hoje na revista científica The Lancet analisou os registos oncológicos de vários anos em sete países: Austrália, Canadá, Dinamarca, Irlanda, Noruega, Nova Zelândia e Reino Unido.

Em todos os países estudados foi detetado um declínio ou estabilização da incidência dos casos de cancro do cólon e do reto, sendo que foram analisados dados desde que cada um dos países tem registos até 2014.

Contudo, analisadas separadamente as faixas etárias abaixo e acima dos 50 anos, os dados apontam em sentidos distintos.

Nas pessoas entre os 50 e os 74 anos, a incidência tem vindo a baixar nos sete países estudados, enquanto nos que têm menos de 50 anos a incidência aumentou.

O estudo considera que será necessária investigação adicional para estabelecer as causas deste aumento de casos em adultos mais jovens e para definir eventuais políticas preventivas e de deteção precoce.

Aliás, a diminuição da incidência em pessoas acima dos 50 anos é atribuída em grande medida à implementação de rastreios.

Outro estudo divulgado hoje pelo British Medical Journal aponta para a mesma situação na Europa, afirmando que o cancro colorretal está a subir nos adultos na faixa entre os 20 e os 49 anos.

COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
COVID e não-COVID: Investimentos para resolver novos e velhos problemas

Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência terminou e o estado de calamidade passou, mas o problema de saúde mantem-se ativo. É urgente encontrar uma visão inovadora e adotar uma nova estratégia. As unidades de saúde precisam de encontrar respostas adequadas e seguras.

Mais lidas