Reunião da Primavera SPDV 2019 já começou
DATA
24/05/2019 12:36:14
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Reunião da Primavera SPDV 2019 já começou

Arrancou hoje, no Curia Palace Hotel, a Reunião da Primavera 2019 da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV).

Em destaque estarão, entre outros temas, as infeções sexualmente transmissíveis, que têm aumentado em Portugal e que continuam a ser um importante e preocupante problema de Saúde Pública. O presidente da SPDV, Miguel Peres Correia, justifica a escolha: “a venereologia é uma parte estruturante e fundamental da nossa especialidade e, antecipando a recente relevância dada às doenças sexualmente transmissíveis, quisemos dotar os dermatologistas portugueses de conhecimento atualizado sobre a matéria”.

O objetivo, afirma, é partilhar conhecimento relevante e atualizado para que os profissionais de saúde se encontrem “preparados para ajudar a população nesta matéria”. Com um vasto e diversificado programa científico, o evento apresenta-se como uma oportunidade ímpar de atualização de conhecimento para as cerca de duas centenas de especialistas presentes e, consequentemente, de melhoria da prática clínica.

Além de simpósios em torno de grandes áreas de patologia e tratamento, haverá também lugar para a apresentação de comunicações originais e de casos clínicos “desafiantes”, destaca o presidente da SPDV.

“Pretendemos, ainda, que a relação entre ciência básica e dermatologia contemporânea seja evidente”, avança, lembrando que a Reunião da Primavera “é ponto de encontro entre todos nós. As conversas informais durante o fim-de-semana são de grande valor, quer como momento de troca de experiência profissional, quer no enriquecimento das relações em que assentamos a prática da nossa profissão”.

“Um dos grandes objetivos da Reunião da Primavera 2019  é continuar a aliar a dermatologia portuguesa à SPDV, num trabalho conjunto entre a associação e os profissionais para conseguirmos ter uma das melhores dermatologias do mundo”, conclui Miguel Peres Correia. 

DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Editorial | Rui Nogueira, Médico de Família e presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar
DESconfinar sem DISconfinar: Um desafio para inovar e aproveitar a oportunidade
Depois de três meses de confinamento é necessário aceitarmos a prudência de DES”confinar sem DISconfinar. Não vamos querer “morrer na praia”! As aprendizagens da pandemia Covid-19 são uma ótima oportunidade para acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. O estado de emergência e o estado de calamidade ensinaram-nos muito! É necessário desconfinar o centro de saúde com uma nova visão e reinventar o conceito com unidades de saúde aprendentes e inovadoras.

Mais lidas