Jornal Médico Grande Público

Apostar na liderança da mulher para responder a desafios da saúde global
DATA
25/06/2019 11:57:58
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS

Apostar na liderança da mulher para responder a desafios da saúde global

O Consórcio Coimbra Health, da M8 Alliance, constituído pela Universidade de Coimbra (UC) e Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), está a organizar o “Women’s Health Forum: pushing boundaries through leadership”, que terá lugar no próximo dia 2 de julho, terça-feira, no Colégio da Trindade, em Coimbra.

O objetivo é discutir, no âmbito da saúde global, questões ligadas à saúde materna e direitos reprodutivos e sexuais em populações vulneráveis, e o papel da liderança em saúde como forma de empoderamento da mulher.

A M8 Alliance é uma rede colaborativa de centros médicos académicos, universidades e academias de nível mundial que tem como missão principal a melhoria da saúde global (medicina, investigação e prestação de cuidados) e o comprometimento com a evolução da saúde global, trabalhando, neste sentido, com decisores políticos e económicos para o desenvolvimento de soluções cientificamente comprovadas para os desafios para a saúde no mundo.

O Coimbra Health, no seguimento da organização do World Health Summit Regional Meeting Coimbra 2018, tem promovido na rede M8 Alliance, um conjunto de ações estratégicas sobre os temas de maior destaque que resultaram dessa reunião e agora, com a realização deste fórum internacional, pretende refletir em áreas como a saúde materno-infantil, saúde e direitos reprodutivos da mulher, em contexto de populações vulneráveis, e a liderança da mulher na saúde.

Dada a dimensão de fórum pretendida, o “Women’s Health Forum: pushing boundaries through leadership” está estruturado em workshops a realizar durante a manhã e sessões plenárias à tarde. A sessão começa, pelas 10h30, com intervenções iniciais de Amílcar Falcão, Reitor da Universidade de Coimbra, Fernando Regateiro, Presidente do Conselho de Administração do CHUC e do Embaixador Luís Almeida Sampaio, Presidente do Conselho Consultivo do Coimbra Health.


Plenários e workshops vão reunir especialistas

No “Women’s Health Forum: pushing boundaries through leadership” vão estar representados vários setores das Nações Unidas, nomeadamente por Mónica Ferro, diretora do Escritório do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA), em Genebra; Magda Robalo, ex-diretora do Departamento de Doenças Transmissíveis da Organização Mundial da Saúde para a África (OMS-África), ativista em questões de género e saúde pública, e ainda responsáveis governamentais da área da saúde, como a atual ministra portuguesa, Marta Temido, o antigo ministro da saúde moçambicano, Francisco Songane, membro fundador da “Parceria para a Saúde Materna, Neonatal e Infantil”, e a angolana Eva Das Dores Pascoal, economista e assessora de Sistemas de Saúde do gabinete da OMS em Angola. Para participar nos workshops e plenários, a organização conta igualmente com o Diretor de Saúde da Federação Internacional da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho (FICV), Emanuele Capobianco e a Comandante Lara Martins, Vice-presidente da Cruz Vermelha, chefe de missão da “Operação Embondeiro por Moçambique”.

Da Women in Global Health (WGH) estarão presentes a diretora e co-fundadora, Roopa Dhatt; Sabina Ludwig, responsável pelo capítulo alemão da WGH, e o CHUC vai estar representado pela médica Teresa Bombas, membro do Conselho de Administração da Sociedade Europeia de Contraceção e, até recentemente, presidente da Sociedade Portuguesa de Contracepção.

Relatório Primavera: verdades e consequências
Editorial
Rui Nogueira
Relatório Primavera: verdades e consequências

“Ó Costa aguenta lá o SNS” foi o pedido de António Arnaut em maio do ano passado, poucos dias antes de nos deixar. Mas o estado da saúde em Portugal está mal ou bem ou vai indo? Está melhor ou pior? O SNS dá as respostas úteis às necessidades de saúde da população? O Relatório de Primavera ajuda a fazer interpretações fundamentadas.

news events box

Mais lidas