Apresentação do Relatório do Programa Nacional para as Hepatites Virais
DATA
29/07/2019 11:45:50
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


Apresentação do Relatório do Programa Nacional para as Hepatites Virais

Criado em 2016 no âmbito dos programas prioritários da Direção-Geral da Saúde, o Programa Nacional para as Hepatites Virais apresenta hoje, dia 29 de julho, pelas 16 horas, no Auditório 1 da Sede da Polícia Judiciária, o seu relatório relativo ao período 2017 – 2018, bem como o roteiro de ação para o biénio 2019 – 2020.

O Relatório dá conta da situação atual do país em matéria das hepatites virais, destacando os bons resultados alcançados no âmbito do tratamento da hepatite C, em que Portugal se assume como um dos primeiros países a nível europeu e mundial a promover o tratamento de todas as pessoas infetadas com hepatite C, com recurso à utilização dos Antivirais de Ação Direta. Até ao presente foram autorizados cerca de 25.000 tratamentos, e de entre os casos em que já é possível avaliar o resultado obtiveram-se taxas de cura de 96,5% (14.000 pessoas curadas).

Realça igualmente, o ponto de situação no que diz respeito à implementação do modelo de tratamento da hepatite B e C em contexto prisional, encontrando-se efetivamente a funcionar em cerca de 80% dos estabelecimentos prisionais.

Para o próximo biénio 2019 – 2020, as linhas estratégias definidas reforçam ainda mais a necessidade de se intensificarem esforços no sentido de se conseguir atingir a meta preconizada pela Organização Mundial da Saúde de eliminar as hepatites virais enquanto problema de saúde pública, até 2030. A manutenção dos programas de prevenção, rastreio e tratamento de acordo com o melhor conhecimento científico disponível continuará a ser uma prioridade nacional. A aposta na micro-eliminação da hepatite C em populações específicas como sejam a população reclusa e as pessoas que utilizam drogas por via injetável será seguramente um dos investimentos do país.

Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro
Editorial | Conceição Outeirinho
Preparados para o Futuro? // Preparar o Futuro

O início da segunda década deste século, foram anos de testagem. Prova intensa, e avassaladora aos serviços de saúde e aos seus profissionais, determinada pelo contexto pandémico. As fragilidades do sistema de saúde revelaram-se de modo mais acentuado, mas por outro lado, deu a conhecer o nível de capacidade de resposta, nomeadamente dos seus profissionais.