OM: Conferência assinala papel dos médicos na construção do SNS
DATA
02/09/2019 10:30:59
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



OM: Conferência assinala papel dos médicos na construção do SNS

Serviço Médico à Periferia, Internato e Carreiras Médicas, o papel dos médicos na gestão do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e o futuro do SNS são alguns dos temas que vão estar em destaque no próximo dia 20 de setembro, na Ordem dos Médicos (OM), em Lisboa, no âmbito da conferência “SNS aos 40 – Os médicos na construção do serviço público de saúde”, promovida pela OM.

“No ano em que o SNS completa quatro décadas de existência a Ordem dos Médicos (OM) não podia deixar de assinalar esta importante efeméride. Queremos honrar naturalmente o SNS pelo orgulho que representa para a nossa democracia e também pelo eixo de coesão social, mas queremos sobretudo homenagear os médicos e todos os profissionais de saúde que contribuíram para esta história de sucesso, mesmo em alturas muito difíceis como aquela em que vivemos”, destaca o bastonário da OM, Miguel Guimarães.

“Foi ainda em plena ditadura e num contexto social e sanitário muito deficitário que surgiu um movimento de médicos que resultaria na estruturação de um futuro serviço público, de acesso universal e equitativo a cuidados de Saúde, em condições dignas, em todo o território nacional”, recorda o responsável.

“Este movimento reconheceu e valorizou a importância das carreiras médicas como pilar essencial da formação e da qualidade e só foi possível graças ao trabalho realizado por médicos de todo o país, sob a coordenação final de João Pedro Miller Guerra, Albino Aroso Ramos, Mário Luís Mendes, António Galhordas, António Fernandes da Fonseca, Albertino da Costa Ramos e Jorge da Silva Horta”, lembra o bastonário, acrescentando que este trabalho se materializou em 1961 com o “Relatório sobre as Carreiras Médicas”, documento histórico, desenvolvido no seio da Ordem dos Médicos, que permitiu construir em Portugal um Estado Social como hoje o conhecemos.

A conferência “SNS aos 40 – Os médicos na construção do serviço público de saúde” contará com intervenções de Nadim Habib, Raquel Varela, Adalberto Campos Fernandes, Ricardo Mexia, Filipe Froes, Graça Freitas, Pedro Pita Barros, Isabel Santos, Dulce Diogo, Catarina Reis Carvalho, Ana Rita Ramalho, Francisco Maio Mato, Roberto Dória, Maria do Céu Machado e Eurico Castro Alves.

Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?
Editorial | Denise Cunha Velho
Internato centrado na grelha de avaliação curricular: defeito ou virtude?

Sou do tempo em que, na Zona Centro, não se conhecia a grelha de avaliação curricular, do exame final da especialidade. Cada Interno fazia o melhor que sabia e podia, com os conselhos dos seus orientadores e de internos de anos anteriores. Tive a sorte de ter uma orientadora muito dinâmica e que me deu espaço para desenvolver projectos e actividades que me mantiveram motivada, mas o verdadeiro foco sempre foi o de aprender a comunicar o melhor possível com as pessoas que nos procuram e a abordar correctamente os seus problemas. Se me perguntarem se gostaria de ter sabido melhor o que se esperava que fizesse durante os meus três anos de especialidade, responderei afirmativamente, contudo acho que temos vindo a caminhar para o outro extremo.