SRCOM destaca papel do SNS na democratização do acesso à saúde
DATA
06/09/2019 10:14:02
AUTOR
Jornal Médico
SRCOM destaca papel do SNS na democratização do acesso à saúde

O presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), Carlos Cortes, defende que a criação do Serviço Nacional de Saúde (SNS) – cujo 40.º aniversário se assinala no próximo dia 15 de setembro – representou também a democratização do acesso à saúde em Portugal.

“A saúde deixou de ser um privilégio dos ricos e passou a ser um direito de todos os portugueses. [Com a criação do SNS] Houve uma democratização da saúde no país e isso foi muito importante”, salientou o médico à agência Lusa.

A SRCOM vai assinalar o Dia do SNS, em Coimbra com um vasto conjunto de atividades que pretendem mostrar "as melhorias e o que de bom trouxe o SNS à população". O programa apresenta debates e exposições e inclui visitas a serviços hospitalares e de cuidados de saúde primários na região que, segundo Carlos Cortes, representam "o êxito e uma mais-valia para os doentes".

Nestas comemorações “queremos evidenciar o papel dos médicos na ideia de criação do SNS e na sua construção e manutenção. Vamos falar de forma positiva para romper um pouco com as denuncias que temos feito ao que não está a correr bem", sublinhou o responsável.

Segundo afirmou, a SRCOM pretende dar a conhecer o papel que o SNS teve junto dos portugueses em várias vertentes, sobretudo "naquela que é mais evidente, que é nos cuidados de saúde". No entanto, lembrou que "todas as conquistas feitas ao longo destas décadas estão sempre em risco e é preciso acarinhar e acompanhar o SNS, que tem tido várias dificuldades, tem resistido, mas tem de ter haver alguma preocupação com ele".

As comemorações terminam no dia 15 com o ato simbólico da rega da ‘Oliveira SNS', a árvore que cresce desde 2009 no Parque Verde do Mondego, iniciativa que deverá contar com a presença da ministra da Saúde, Marta Temido.

Nesta ocasião, explicou Carlos Cortes, será homenageada a "figura maior" do SNS, António Arnaut, falecido em 21 de maio de 2018, que foi o responsável pela criação do SNS, em 1979, quando era ministro dos Assuntos Sociais.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas