ULS Matosinhos cria unidade de ensaios clínicos precoces
DATA
10/09/2019 10:39:46
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS



ULS Matosinhos cria unidade de ensaios clínicos precoces

A Unidade Local de Saúde de Matosinhos (ULSM) acaba de anunciar a criação de uma nova Unidade de Ensaios Clínicos Precoces em Voluntários Doentes (Early Phase Clinical Trials Unit) de fases I e II.

Até agora, a investigação clínica – conduzida ao abrigo de um acordo de colaboração entre a ULSM, no distrito do Porto, e a BlueClinical - Investigação e Desenvolvimento em Saúde – incidia sobre os ensaios clínicos de fases II a IV.

“O desenvolvimento de novos fármacos e a atividade de ensaios clínicos proporciona um conjunto de benefícios para as organizações de saúde e para os utentes, proporcionando a melhoria dos indicadores de saúde ao garantir aos doentes tratamentos inovadores, mais eficazes e seguros, numa fase precoce do seu desenvolvimento”, explicou a ULSM, em comunicado.

Segundo a unidade hospitalar, o acesso a novos medicamentos, antes de estes estarem disponíveis para comercialização, pode antecipar em vários anos o acesso a terapêuticas avançadas.

“Fruto do envolvimento dos profissionais no processo de investigação, da sua formação e desenvolvimento contínuo, cultura de rigor e organização imposta pela metodologia de investigação de um centro de ensaios clínicos, traduz-se em melhorias sustentáveis a vários níveis dos diferentes serviços prestados nas unidades de saúde, desencadeando frequentemente novas descobertas ou ramos de estudo, contribuindo para o desenvolvimento de novas terapêuticas”, realçou.

Adicionalmente, referiu, contribui para o desenvolvimento científico dos investigadores e um “efeito de arrastamento na cadeia de valor” dos serviços da ULSM.

O processo de desenvolvimento de novos medicamentos tem uma duração longa de 10 a 15 anos, desde a fase pré-clínica até à fase de comercialização, recordou.

O protocolo de colaboração para a investigação clínica entre a ULSM e a BlueClinical foi celebrado em 2013, no âmbito da Clinical Research Partnership da Blueclinical.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas