Centro Hospitalar Cova da Beira promove seminário de cuidadores informais

O Centro Hospitalar Universitário Cova da Beira (CHUCB), com sede na Covilhã, promove o 1º Seminário de Cuidadores Informais da Cova da Beira no dia 8 de novembro, a decorrer no Auditório do Hospital Pêro da Covilhã.

O evento é dedicado ao papel dos cuidadores informais nos cuidados de saúde, destacando os desafios da hospitalização domiciliária. Para além dos próprios cuidadores informais, o seminário também se dirige a profissionais de saúde, estudantes, colaboradores de entidades públicas e privadas prestadoras de cuidados, instituições de solidariedade social e a todos os interessados. A formação é certificada pelo Serviço de Ensino e Formação do CHUCB e conta com a colaboração da Associação Nacional de Cuidadores Informais.

De acordo com o CHUCB, que integra os hospitais da Covilhã e do Fundão, no distrito de Castelo Branco, o objetivo também é “consciencializar profissionais de saúde e comunidade em geral para as necessidades e constrangimentos que se colocam diariamente aos cuidadores informais, aos quais é atribuída uma grande responsabilidade e a realização de tarefas complexas (…) para as quais, na grande maioria dos casos, não têm formação ou qualquer tipo de apoio e orientação”.  A estes constrangimentos, acresce a sobrecarga psicológica, física, social e financeira, que tem um grande impacto na saúde e qualidade de vida daqueles que cuidam e dos que recebem esses cuidados.

Nesse sentido, os direitos e desafios dos cuidadores informais são abordados tendo em conta o enquadramento legal do estatuto do cuidador informal em Portugal e a pertinência das medidas políticas, que neste momento estão a ser “equacionadas quer a nível central, quer local, em torno desta matéria”.

800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde
Editorial | Jornal Médico
800 milhões de euros para o Serviço Nacional de Saúde

Se não os tivéssemos seria bem pior! O reforço do Programa Operacional da Saúde com 800 milhões de euros pode ser entendido como sinal político de valorização do setor da saúde. Será uma viragem na política restritiva? O Serviço Nacional de Saúde (SNS) de 40 anos precisa de cuidados intensivos! Há novos enquadramentos, novas responsabilidades, novas ideias e novas soluções. É urgente pensarmos na nova década com rigor e disponibilidade sincera.

Mais lidas