MSD Portugal reúne especialistas para debater o papel da imunoterapia nos tumores génito-urinários
DATA
06/11/2019 11:50:02
AUTOR
Jornal Médico
ETIQUETAS


MSD Portugal reúne especialistas para debater o papel da imunoterapia nos tumores génito-urinários

A 2ª edição do Workshop “O doente no centro da decisão”, dedicado ao papel da imunoterapia nos carcinomas genito-urinários, vai decorrer no próximo dia 9 de novembro.

Este encontro, que se destina exclusivamente a profissionais de saúde, terá lugar no Eurostars Oasis Plaza, na Figueira da Foz, e irá reunir conceituados especialistas nacionais para discutir temáticas como a otimização dos cuidados oncológicos, limitações terapêuticas e a análise da evolução do tratamento e respetivas dificuldades práticas.

Ao longo do dia, vão decorrer diversas sessões com uma forte componente prática, que terão como base as dificuldades na abordagem de doentes que sofrem de algum tipo de cancro génito-urinário e a importância de otimizar os cuidados oncológicos prestados, apostando no papel do oncologista, médico de família e associações. O evento pretende promover e reforçar a importância da multidisciplinaridade na prestação dos melhores cuidados médicos, juntando no mesmo painel representantes das principais associações de doentes a nível nacional.

Os especialistas presentes, terão oportunidade de participar em dois workshops que abordam tipos de carcinomas distintos e tratamentos em subpopulações especiais, avaliando as limitações terapêuticas tumorais existentes: “Dificuldades na abordagem do doente com carcinoma do rim. O mundo real” e “O carcinoma do urotélio: Da evolução terapêutica às dificuldades práticas”.

O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Editorial | Jornal Médico
O novo normal e a nova realidade – que alterações provocadas pela pandemia vieram para ficar?
Acertar procedimentos e aperfeiçoar métodos de trabalho. Encontrar uma nova visão e adotar uma nova estratégia útil na nossa prática clínica quotidiana. Valorizar as unidades de saúde por estarem a dar as respostas adequadas e seguras é o mínimo que se exige, mas é urgente e inevitável um plano de investimento nos centros de saúde do Serviço Nacional de Saúde.

Mais lidas